27.8.15

Em busca de um escritório




  










Há mais de um ano que passei a trabalhar maioritariamente em casa. Tinha uma divisão que funcionava mais como sótão ou arrecadação, cheia de caixotes e coisas dos nossos tempos de solteiros, era uma divisão cheia de coisas "não sei o que te fazer, mas também não és lixo". Para começar a trabalhar, comprei apenas um tampo de vidro e uns cavaletes de madeira, arrumei as coisas o melhor que pude, desfiz-me de outras, mas o escritório está longe de ser um escritório de sonho, é apenas um "tem de ser" onde me mantive até perceber se as coisas iam ou não resultar, sem deslumbramentos.

E cada vez mais preciso de um escritório organizado e bonito, um sítio onde goste de estar. Nas horas vagas tenho caçado imagens no Pinterest, uma óptima fonte de ideias para melhor aproveitamento de espaço, decoração e cores. Estou por um estilo minimalista, muito ao género da primeira imagem, com opção de muita arrumação e deixar à vista apenas o que não faz ruído ao espaço. Já não aguento as pilhas de folhas do IVA, facturas, post-its por todo o lado! Além disso, a ideia é reconstruir para vir a dividir o escritório com o mais-que-tudo. 

Sou também muito fã da tinta de ardósia para escrever recados em giz, namorar e obrigar-me a não deixar tarefas esquecidas. Já alguém experimentou este tipo de tinta? Funciona bem ou deixa a desejar?


26.8.15

A cair para os anos 20





  






  


Enquanto vou sonhando com um dia vestir uma obra destas, adoro esta colecção de Outono/Inverno 2015 da Marchesa a escorregar para os anos 20. Tenho um fraquinho pelo Gatsby style e os meus preferidos são claramente os das duas últimas imagens.


25.8.15

Por ele, podia ter partido os dentes da frente




Este vídeo é uma calamidade. Achámos que seria boa ideia descer uma duna (que nos levou uma vida a subir), em modo speed, com um selfiestick e arriscando a vida do iPhone. O dele, não o meu que não se presta a aventuras.

Logo na descida vemos a qualidade do meu casamento. Ele quer ser a estrela do vídeo, finge que me segura a uma velocidade estonteante, mas no fundo estou a ser empurrada para trás. Ele desiste, larga-me no meio da areia, podia chegar pessoal dos recursos humanos do Estado Islâmico, levar-me para longe e para todo o sempre, que ele continuava a correr duna abaixo.

Fico para trás mas continuo o meu caminho. Pareço um aranhiço a descer a velocidade lenta, mas isto é tudo rápido, o vídeo engana.

Destes da frente impec, safaram-se. Vou jantar.



24.8.15

Um dia mato este gajo #53

Na minha vida com o PAM, eu tenho sido sempre uma mulher maravilhosa, daquelas bem permissiva para seu homem. Nunca coloquei entraves, ele sempre pôde apertar as bochechas do meu rabo sem problemas.

Mas se for o inverso, o caso muda totalmente de figura.

Se eu quiser apertar-lhe o rabo, tenho de enfrentar uma cena de gritos, deparar-me com a minha vontade vetada, ver descer a maior drama queen de todos os tempos no homem que escolhi e ouvir:

- ESTÁS A ESTRAGAR-ME OS ELÁSTICOS DAS CUECAS!!!





Arquivo do blogue